Anônimos de SP

Quem conta: danielamarinelli
Conta mais: gestos como esse restauram a fé.

Estava voltando da casa do meu namorado, já era tarde da noite, chuviscava. Parada num semáforo, no cruzamento das escuras e vazias ruas do bairro de Perdizes, me assustei com um vulto passando ao lado do meu carro. Era um senhor, prováveis 50 e poucos anos, carregava um pacote, uma marmita.

Dirigiu-se a um montinho de papelão na calçada, a meio metro de onde eu estava parada aguardando o sinal abrir. Eu não tinha visto, mas um morador de rua tentava se proteger ali.

Aquele senhor pediu licença ao homem e indagou gentilmente se gostaria de um prato quente de comida. Deu-lhe então a marmita, perguntou se precisava de mais alguma coisa e, diante da negativa, deu “boa noite” e foi embora.

Nesta cidade bruta, tão egocêntrica, tão carente de cidadania, ainda existem pessoas que olham e cuidam do próximo.

2 replies to “Anônimos de SP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
close-alt close collapse comment ellipsis expand gallery heart lock menu next pinned previous reply search share star