Homenagem

Quem conta: carol
Conta mais: diga se você ama alguém.

Quero compartilhar uma parte da minha vida. Hoje tenho 31 anos e essa história começou quando eu tinha 14. Eu vivia uma fase muito linda, a fase onde somos eternos, e foi nesse tempo que, no portão da minha casa, conheci um rapaz chamado Silvio César – ou só César, como eu o chamava.

Depois que nos vimos a primeira vez, todas as noites ele passava na minha rua e eu achava que ele havia se interessado por minha amiga. Após muitos meses de paquera, voltaram as aulas e, para a minha surpresa, ele estudava na mesma escola que eu – como eu nunca percebi?! Então, passamos a trocar olhares lá também.

Ele era discreto e também o gato da escola, eu fazia 6ª série, ele o 1º ano. Certo dia resolvi não trocar mais olhares com ele, achei que ele me esnobava e que eu era só mais uma fã que ele colecionava. Meses depois, um amigo da minha sala me chamou e disse:
– Carol, Silvio pegou minha caneta e disse que só devolve se eu te apresentar a ele.
Eu fiquei sem ar e respondi:
– Volte lá, pegue sua caneta e fale pra ele que ele sabe onde moro. No fim da aula você o leva lá.

Naquele dia a aula demorou anos! Quando terminou, corri para casa e fiquei esperando, ansiosa. Depois de alguns minutos, meu amigo apareceu junto com ele. Tentei agir normalmente e falar sobre a aula, então ele disse:
– Não vim aqui pra falar de aula, vim pra conhecer você.
Perfeito! Ele era lindo e de atitude! Meu amigo se foi e ficamos conversando por horas.

Todos os dias nos falamos, até que uma vez ele apareceu na porta da minha sala e disse que precisava falar comigo no fim da aula. Fomos para uma praça e ele me falou que gostava de uma menina e não sabia se deveria dizer. Eu incentivei e ele respondeu:
– A garota que quero namorar é você, você aceita?
Ri muito e disse que já sabia, mas queria ouvi-lo pedir…

Começamos a namorar. Ele era sério, mas sempre atencioso, firme em suas palavras e personalidade, como eu também era. Namoramos por um tempo e depois eu resolvi terminar com ele, sem motivos. Terminamos e deixamos de nos falar.

Depois de um bom tempo, liguei para ele e pedi que fosse a minha casa. Me desculpei, voltamos a nos falar e depois a namorar outra vez por um bom tempo. Mas começaram muitos mal entendidos de terceiros, eu fui imatura, orgulhosa e tola e, mais uma vez, terminei com ele. Ele não queria ir, mas assim consentiu. Desta vez mantivemos contato. Ele encontrou outra pessoa, mas sempre ia me ver.

Um dia pedi para voltar com ele e ele negou, porque queria viver, ir a festas, fazer o que queria e essa outra pessoa deixava. Ali disse a ele:
– De hoje em diante você tem em mim uma amiga, não mais uma namorada.

Tempos depois conheci alguém e me casei. Ele ficou só e perdemos contato. Após 9 anos, uma pessoa me disse que ele tinha um grande bar na nossa cidade. Ele perguntou de mim e contou que nunca tinha casado ou teve filhos porque me esperava. Isso acabou comigo. Ele vivia uma vida triste, bebia muito e se entregou.

Depois de 2 anos meu casamento acabou, meu marido me deixou e foi viver o que queria, com quem queria, e eu logo pensei no César. Queria viver aquele amor. Para minha tristeza, recebi a notícia do falecimento dele. Não pude me despedir, nem houve adeus, nem pedido de desculpas, não houve um “eu te amo”! Ele tinha um tumor na cabeça e faleceu 15 dias depois de descobrir. Nunca vi seu corpo. Mesmo que ele não escutasse mais, eu queria ter dito coisas, mas era tarde.

Perdi um amor, não vou ter de volta… Quero dizer que orgulho não nos leva a nada. Não sabemos quanto tempo temos. Talvez aquela pessoa não tenha tempo para ouvir um pedido de perdão. César foi o amor da minha vida e quis dividir isso porque é a minha homenagem.
Obrigada.

4 replies to “Homenagem

  1. Eu tive mais sorte. Fiquei longe do meu grande e único amor por 42 anos. E agora há 5 anos estamos juntos novamente. Falo eu te amo a cada momento e sou muito amada por ele, que tambem nunca me esqueceu. Estamos felizes e nos curtindo muitoooo.

  2. Oi Ju, tudo bem? Não pude deixar de me comover com a história da Carol, é linda e triste. Não sei se você lembra da minha história, você já a publicou ha um tempinho. Depois que li a história da Carol fiquei muito pensativa e me bateu um arrependimento por nunca ter dito com palavras que amava Bruno, e o medo de que aconteça comigo o mesmo que com Carol ta me assombrando, porem não sei como chegar e dizer pra ele o que senti e sinto, não nos falamos a meses e eu aparecer de repente dizendo tudo… tenho medo que ele ache que só estou querendo me reaproximar, o que não é o caso. Eu apenas quero dizer o quanto quero a felicidade dele e que apesar de não estarmos mais juntos ele sempre será meu primeiro e mais lindo amor.

    Date: Tue, 25 Nov 2014 16:26:20 +0000 To: jessica_tenorio_@hotmail.com

    1. Oi, Jéssica! Tudo bem e com você?
      Claro que lembro da sua história, tocou muito o meu coração e de várias pessoas também!
      Eu acho que é super importante dizer o que sente, seja como for. Se você usar as palavras com todo o sentimento bom que colocou no seu texto, ele deve entender.
      Faça o que te faz feliz e diga o que você acha que ele merece saber! <3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
close-alt close collapse comment ellipsis expand gallery heart lock menu next pinned previous reply search share star