A Fera

Quem conta: julianacasemiro
Conta mais: fortaleci o prazer em reverter as situações.

Tenho falado frequentemente com uma instituição brasileira por conta do trabalho e toda vez a conversa é bem objetiva, mesmo sendo com uma pessoa diferente.

Há alguns dias recebi uma ligação que foi quase como uma voadora no queixo. Eu confirmei as infos que precisava e achei que acabaria ali. Mas não.

Ela foi muito exigente em detalhes que eu só teria 2 semanas depois e eu expliquei calmamente o processo. Mas ela estava com pressa. Depois, comecei a tentar outras possibilidades. Mas ela não tinha paciência. Por último, eu pedi a ela que me ligasse mais pra frente que seria mais certeiro. Mas ela preferiu levantar a voz.

Acontece que eu sou uma pessoa normal e foi inevitável não ficar irritada com tanta grosseria. Porém ela não sabia que eu sou uma pessoa competitiva e coloquei uma missão ali: eu iria acalmar a fera reverter o cenário.

Eis o nosso diálogo após tudo isso. A letra maiúscula se refere aos momentos que ela gritou:
– ENTÃO VOCÊ NÃO VAI CONFIRMAR NADA?
– Eu não tenho isso ainda. Podemos reagendar a conversa?
– PARA QUANDO?
– Dia X.
– DIA X NÃO DÁ.
– Antes eu não consigo mesmo. Eu queria que fosse mais fácil também, me atrapalha muito não ter tudo antes.
– ENTÃO FAZ ASSIM, VOCÊ LIGA E SE RESPONSABILIZA, OK? SE DER PROBLEMA, A CULPA É SUA.
– Ok. Me confirma o telefone de vocês? Mas me confirma um que uma pessoa simpática possa me atender, por favor.
– SÓ EU TRABALHO AQUI, AMOR.
– Tudo bem, a gente vai se falar de novo então.
– É.
– Só queria então entender porque você foi tão grossa comigo. Eu não te tratei mal, eu não elevei meu tom, eu só fui sincera em dizer que não tinha todas as informações. Os últimos meses foram iguais. É tudo de última hora mesmo.
– Mas mudou um monte de coisa aqui e eu sou muito cobrada (< tom de voz mais baixo).
– Então me diz no que mais eu poderia tentar te ajudar.

Ela explicou e o tom foi mudando. Ela foi se moldando de novo a uma menina legal – a voz dela era de menina legal. Ela precisava de muita coisa mesmo e eu não sabia, então nunca adivinharia que estava devendo tantos detalhes.

Pra garantir, finalizei:
– Tudo certo agora ou você ainda quer que eu ligue?
– Deixa que eu ligo. Vamos torcer para você ter as infos antes, né?
– Sim, eu vou fazer minha parte aqui, ok?
– Ok. E eu faço a minha daqui. Muito obrigada pela ajuda.
– Obrigada à você.

Foi cansativo, mas valeu a batalha. Ser maltratada estraga meu dia e eu tentei garantir o meu e melhorar o dela. Acho que deu certo!

2 replies to “A Fera

  1. Ah, Ju!! Você conduziu o conflito com sabedoria!! Muito bom!! ;)

    Essa história me fez lembrar um texto escrito por Gandhi (bom, pelo menos é o que dizem…)
    Talvez você já o conheça, mas, vamos lá…

    Por que as pessoas gritam? (Mahatma Gandhi)

    Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos:
    – Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?
    – Gritamos porque perdemos a calma, disse um deles.
    – Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado? – Questionou novamente o pensador.
    – Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça, retrucou outro discípulo.
    E o mestre volta a perguntar:
    – Então não é possível falar-lhe em voz baixa?
    Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador. Então ele esclareceu:
    – Vocês sabem por que se grita com uma pessoa quando se está aborrecido? O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito.
    Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente.
    Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância.
    Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas?
    Elas não gritam. Falam suavemente.
    E por quê?
    Porque seus corações estão muito perto.
    A distância entre elas é pequena.
    Às vezes estão tão próximos seus corações que nem falam, somente sussurram.
    E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta.
    Seus corações se entendem.
    É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas.
    Por fim, o pensador conclui, dizendo:
    “Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta”.

    Às vezes, confesso que perco a calma,…e grito com meu filho, mas não é para ele que eu grito! É para a correria do dia a dia, o cansaço, a pressão, cobrança, transito, etc…Mas, estou me policiando em relação a isso!
    Se antes de perder a paciência, eu pensava nesse texto de Gandhi, agora terei um reforço especial e lembrarei dessa sua história!
    Obrigada, viu!?
    #gratidaosempre

    @terecalyrio

    1. Terezinha, que texto MARAVILHJSO! Não conhecia e me encantei com essa… lógica!
      Muito obrigada mesmo por compartilhar, mudou o dia!
      E eu acho que temos direito em não sermos perfeitos, mas válido mesmo é saber aceitar que errou e tentar resolver, melhorar… E falar isso pros outros também.
      Eu tentei me controlar e achei que poderia fazer algo ali pra reverter. Sempre vale a pena a tentativa!
      Beijos e gratidão sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
close-alt close collapse comment ellipsis expand gallery heart lock menu next pinned previous reply search share star