No Deserto

Quem conta: joãopacheco
Conta mais: já sei pra onde vou, só falta chegar.

Minha vida tem 21 anos. Já a história que irei contar é bem mais nova que eu.

Desde cedo, sempre fui menino disposto a enfrentar os obstáculos da vida. Aos 13 anos, larguei cidade, família, amigos, e todas as seguranças que eu tinha. Objetivo: buscar melhores condições de estudo/vencer na vida. Aprendi a morar sozinho, lavar roupa, cozinhar, e tudo aquilo que a vida exige como requisito para ser gente grande! Aos 15 anos, percebi que talvez os obstáculos fossem muito mais difíceis de serem enfrentados do que eu poderia imaginar.

Devagarzinho, e ao mesmo tempo sem perceber, ganhei a amizade de uma companheira famosa. O nome dela? Depressão. O motivo? Existiu motivo, sim. Fui acusado de abusar sexualmente a minha própria irmã, pelos meus próprios pais. Logo eu, que nunca consegui nem matar mosquito porque tinha pena. Além disso, eu era um pré-adolescente homossexual que achava que viver o amor que existia em mim (gritando para ser vivido) era pecado.

Mas enfim, injustamente, me peguei sem saber pra onde ir, totalmente sem direção. E o ruim de não se ter direção é que você acaba perdendo a vontade de seguir em frente, mesmo sem saber pra onde vai. Alguém aí já sentiu a dor de ver as pessoas que você ama totalmente desacreditadas de quem você é? Pois é, esse foi o primeiro deserto que visitei!

“Mas o que torna belo o deserto, disse o principezinho, é que ele esconde um poço nalgum lugar.” E foi no meio do deserto, cansado e com sede, que conheci aquele menino bobo que conseguiu me tirar do sufoco. Quase aos 16 (de idade), nos 45 (do 2º tempo), me apaixonei pela primeira vez. E fui correspondido! Não existe encontro mais lindo do que as expressões “amar” e “ser amado”, ambas escritas pelos mesmos autores. Ele foi o meu poço! Me fez enxergar a beleza da vida e de perceber que eu tinha sido criado desse jeitinho, porque era desse jeitinho que Deus me queria. O pecado cedeu lugar ao Amor!

Foram 5 anos de felicidade! 5 anos de água viva jorrando naquele deserto! 5 anos de sonhos planejados. Ele me deu uma direção. Mais do que isso: naquele primeiro beijo, ele passou a ser vida da minha vida! Ele tinha o sorriso mais lindo dos que já consegui ver e arrancava de mim os sorrisos mais lindos também. Acontece que o mundo não é uma máquina de realização de sonhos. Eu bem que gostaria de dizer o contrário. Há 3 meses, olhando no meu olho, o sonho chegou ao fim. O motivo? Ele perdeu a esperança, e olhando no meu olho, disse que o amor que estávamos vivendo não podia mais ser vivido, pois Deus não aceitava aquilo. O pecado retomou seu lugar. Na mente dele, não em mim! Pois o que é belo, e verdadeiro, e transforma o mundo (pra melhor) nunca vai ser impossível ou errado. É nisso que o meu coração acredita!

O que me conforta é saber que eu nunca desisti… e saber que isso tudo foi culpa da inocência dele, que escuta demais a quem não deve. Logo ele, que me estendeu a mão e me devolveu a capacidade de acreditar… perder a noção dessa forma? O mundo é mesmo uma caixinha de surpresas! Enfim, o poço secou, e o deserto voltou. A direção sumiu. De novo. Hoje, resolvi acreditar que a dor precisa ser transformada em amor! No fim do ano farei um intercâmbio para o exterior, para realizar trabalho voluntário em orfanatos, comunidades carentes, hospitais etc. Não sei por onde irei passar e nem sei as histórias de vida que vou ler. Só sei que vou. Vou transformar a dor da vida dos outros em amor. Dizem que o amor é contagioso, né? Então.

Dessa vez, mesmo sem direção, continuo com a vontade de seguir. Talvez em busca dos pedidos de perdão que mereço ouvir e que talvez nunca cheguem aos meus ouvidos. Estou tranquilo quanto ao que sou (ser HUMANO). Certo do que quero ser.

Quanto ao deserto? Ah, o deserto. Num deserto de almas também desertas, uma alma especial reconhece de imediato a outra. Talvez essa seja a minha vez de deixar de ser deserto, para ser água na vida de alguém!

13 replies to “No Deserto

  1. João Pacheco, que história, hein!?
    Realmente, muitos desertos aparecem em nossas vidas, mas o que acalma nossos corações aflitos por um oásis (por menor que seja) é a certeza de que somos alimentados pela FÉ e pela CORAGEM! Fé na vida por dias melhores, brisa e água fresca e coragem por seguir em frente nos dias em que o calor e o sol apertam prá valer! E nesses longos dias de verão surgem pessoas que mostram prá gente o caminho da sombra , do descanso e vento brando! E, que a vida possa lhe oferecer, João, muitos oásis no decorrer do seu caminho! Seja feliz e…grato a tudo! ;) Boa viagem!

  2. A única coisa que sinto é vontade de dar um abraço apertado nesse rapaz! Será que o coração dele cabe no meu abraço? Hahaha! João, não desiste de lutar pelos sonhos que você tem! O mundo precisa conhecer esse amor que existe dentro de você, garoto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
close-alt close collapse comment ellipsis expand gallery heart lock menu next pinned previous reply search share star