O Picolé

Quem conta: julianamachado
Conta mais: era mais um dia atrasada a caminho do trabalho.

Antes do advento dos aplicativos para chamar táxis, eu era uma fiel cliente dos pontos de bairro. Tem um bem na minha rua e, quando eu precisava, ligava lá e em 2 minutinhos – tcharaaan, lá estava o taxista na minha porta.

Como eu pedia táxi nesse ponto com uma certa frequência, alguns motoristas chegaram a me atender várias vezes e ficaram conhecidos. Entre eles, um moço chamado Elson. E como eu só tenho dois motivos pra pedir táxi de manhã – estar atrasada ou estar de ressaca -, alguns deles já davam bom dia emendando coisas do tipo “perdeu a hora hoje?”, “exagerou ontem?”, “Hahahaha que cara é essa? Está de ressaca de novo, né?” e por aí vai.

Por acaso, o Elson só me atendeu em dias de ressaca e a última vez foi especial. Chamei o taxi, ele chegou, entrei no carro e não falei nada. Só dei um sorriso que dispensava palavras para confessar “sim, estou de ressaca de novo”.

– Mesmo lugar de sempre, Juliana?
– Sim, estou indo pra agência, ali na Bias Fortes com Espírito Santo, você sabe onde é, né? Ah, não! Primeiro Bias Fortes com Rio de Janeiro! Vou passar na padaria antes…
– Tudo bem.

Fizemos alguns minutos de silêncio até que eu ter uma ideia brilhante.

– Acho que eu vou deitar e dormir aqui. Pode?
– HAHAHAHAHAHAHAHAHA!
– É sério, se eu não dormir eu vou morrer. Eu tô muito mal, Elson.
– Hahahahahahaha! Pode, ué. Quando eu chegar lá eu te acordo. O trânsito está péssimo, vai dar pra dormir uns minutinhos bons.

Desde sempre eu resolvo minhas ressacas com picolé de fruta. É que quando eu era criança, eu era uma peste e não parava quieta. Aí todo dia era um machucado novo e a cada curativo que meus pais faziam eles me davam um picolé pra me distrair da água oxigenada, do Merthiolate, dos pontos. Eu cresci (mas também não muito, tanto que me cabia deitada no banco traseiro de um táxi) e isso ficou. Hoje em dia, quando eu “machuco meu fígado”, eu recorro aos picolés.

Me encolhi no banco, coloquei a bolsa debaixo da cabeça e dormi profundamente. Não vi nada até que com toda delicadeza do mundo, o Elson me acordou:
– Juliana, chegamos.
Eu abri um olho só, levantei e sentei toda descabelada, amassada e meio fora do ar.
– Putz, Elson! Eu dormi por quanto tempo?
– Ah, uma meia hora só.
– Você veio direto, cara? Esqueceu da padaria?
– Não esqueci não. Tá aqui, ó. Você tava dormindo tão pesado que eu fiquei com dó de te acordar. É de limão que você gosta, né?

Eu fiquei sem reação. O cara pega vários passageiros por dia, conhece várias pessoas, me atende só de vez em quando, mas mesmo assim lembra o meu caminho “de sempre”, meus hábitos ressaquísticos e ainda sabe qual é o meu sabor de picolé preferido! Que inacreditável!

– HAHAHAHAHAH Elson, você não existe! Muito obrigada!
– Imagina se eu ia deixar alguém igual a você morrer, Juliana. De jeito nenhum! Você é divertida demais!

Depois desse dia, eu nunca mais tive a felicidade de ser atendida por ele de novo, mas essa foi a melhor corrida de taxi que já tive. Essa história poderia ter ido parar nas páginas policiais de algum jornal, mas felizmente está aqui, no temporarypeople. Lucky me. :)

2 replies to “O Picolé

  1. Gente!!! Adoreeeeeiii essa historia!!
    Sinceramente, não sei quem é o/a protagonista da história se é a Juliana com todo o seu bom humor e simpatia ou o Edson com seu profissionalismo e cuidado!
    Confesso que picolés e sorvetes refrescam minha cabeça quando estou preocupada e acalmam meu coração quando estou #xatiada ou triste! Santo remédio! ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
close-alt close collapse comment ellipsis expand gallery heart lock menu next pinned previous reply search share star