No ônibus

Quem conta: andreapinto
Conta mais: minha preocupação virou um momento que mudou o meu dia.

Eu estava passando pela dor mais profunda que tinha experimentado na vida: a perda da minha mãe. Vivíamos longe e eu estava mais longe ainda quando soube da notícia. Foi um momento de me sentir sem chão, sem céu e sem ar pra respirar. Não sabia se ía pra direita ou pra esquerda. Estava longe da minha família e longe de casa.

Quando voltei para Barcelona, onde moro, uma conhecida se colocou à disposição para aplicar reike. Na hora aceitei e lá fui eu cruzar a cidade de metrô – confesso, por mais vazio que esteja, não é meu meio de transporte favorito.

Fiz a sessão e perguntei se tinha algum ônibus que passava pelo centro e, por sorte, tinha! Fui caminhando pelo sol pensando na vida ou, como minha mamy dizia, “na morte da bezerra”. Parada no ponto, me senti em outro planeta. Não estava presente no presente, se é que você me entende. Minha vida estava sem cor.

Entrei no ônibus e sentei. De repente, olho pro lado porque uma voz me chamou a atenção e vejo uma cabecinha loira. Era um menino com seus 5 anos cantando ou sussurando algo. Fiquei analisando que ninguém olhava pra ele e pensei – “Meu Deus, esse menino está sozinho nesse ônibus”. Puxei conversa… E deu nisso:
– Oi, tudo bem?
– Oi, tudo.
– O que você está fazendo?
– Jogando. Você quer jogar?
Dei risada e respondi.
– O que você quer jogar?
– Números.
– Não sou boa com números. Que tal nomes?
– Ah, legal.
– Como você chama?
– Marc.
– Encantada (uma expressão utilizada aqui). Sou Andrea.
– Abacaxi.
– Amarelo.
E o jogo começou.

Um tempo depois, vendo que ninguém achou aquela situação estranha, perguntei se ele estava sozinho e ele apontou pra babá. Ela segurava um carrinho com uma outra cabecinha loira platinada.

Eu estava com os meus óculos de sol na mão e Marc, muito amavél, me diz:
– Bacana seus óculos.
– Quer provar?
E dei os óculos para ele. Foi nesse momento que meu coração derreteu. Ele gritou:
– EU VEJO O MUNDO AMARELO! A rua está amarela, os carros estão amarelos, você esta amarela!!! O mundo está colorido!!!

Eu já estava entregue e, nesse momento, só queria ser parte da família do pequeno Marc para estar sempre por perto. Ele, com toda sua expertise, sacou que eu não era espanhola e perguntou se meu país era “muuuuito longe”. Tão lindo! Ainda conversamos mais um pouco e ele me contou aonde morava e com quem. Até que o ônibus chegou no ponto final.

Meu coração não queria dizer tchau. No caminho de casa pensei que deveria pegar sempre o ônibus nesse horário para vê-lo.

Marc foi um anjo e nem sabe o bem que me fez: em um dia tão preto e branco, ele me lembrou que o mundo é colorido!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
close-alt close collapse comment ellipsis expand gallery heart lock menu next pinned previous reply search share star